GREENWALD AFIRMA QUE MORO AMEAÇA A DEMOCRACIA NO BRASIL E AVISA SOBRE VAZAMENTO BOMBÁSTICO

26/07/2019

 

O jornalista Glenn Greenwald, um dos criadores do The Intercept Brasil, concedeu entrevista para o Metropoles, publicada na manhã desta sexta-feira (26/7), onde afirmou que "o mais bombástico ainda será publicado”. Fortes rumores na  imprensa reforçam a hipótese de Bolsonaro ser a ‘cereja do bolo’ do Intercept. Dois dias após a prisão dos hackers pela Polícia Federal, o jornalista diz que o atual o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro trabalha sem transparência e ameaça a democracia no Brasil. Atingido em cheio pelo vazamento de informações publicadas pelo Intercept, Moro tenta de qualquer forma se livrar das evidências sobre sua atuação criminosa na Operação Lava-jato. Acuado, o ministro da Justiça apelou a uma portaria que pode significar a deportação do jornalista Glenn Greenwald, que vem revelando irregularidades do ex-juiz e da Operação Lava Jato. 

 

"Hoje Sergio Moro decidiu publicar aleatoriamente uma lei sobre como os estrangeiros podem ser sumariamente deportados ou expulsos do Brasil 'que tenha praticado ato contrário aos princípios e objetivos dispostos na Constituição Federal.' Isso é terrorismo", escreveu Greenwald no Twitter. O site The Intercept Brasil vem divulgado várias irregularidades da Operação Lava Jato. Quando era juiz, Moro extrapolou suas funções ao sugerir, por exemplo, acréscimo de informações na produção de provas contra um réu, questionou a capacidade de uma procuradora que interrogaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e negociou acordos de delação premiada. 

 

Na manhã desta sexta-feira (26/7), o The Intercept Brasil publicou a 12ª parte da série de reportagens sobre "as mensagens secretas da Lava Jato". A matéria é assina por Amanda Audi, Leandro Demori, Rafael Moro Martins e demonstra que o procurador Deltan Dallagnol foi pago para dar uma palestra para uma empresa investigada por corrupção pela Lava Jato, operação que ele comanda em Curitiba. Dallagnol recebeu R$ 33 mil da Neoway, uma companhia de tecnologia, quando ela já estava citada numa delação que tem como personagem central Cândido Vaccarezza, ex-líder de governos petistas na Câmara que foi preso em 2017, e em negociatas na BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras privatizada na terça-feira.

Não ficou só na palestra, realizada em março de 2018. Deltan também aproximou a Neoway de outros procuradores com a intenção de comprar produtos para uso da Lava Jato. Ele chegou a gravar um vídeo para a empresa, enaltecendo o uso de produtos de tecnologia em investigações – a Neoway vende softwares de análise de dados.

 

Na entrevista que concedeu ao Metropoles, Glenn afirmou que considera difícil comentar o material que ainda não está publicado, em função de não ter finalizado o processo editorial e jornalístico. "Eu aprendi essa lição várias vezes durante o caso do Snowden, quando as pessoas estão sempre querendo saber: 'Ah, por favor, dá uma dica do que está chegando'. E às vezes eu disse alguma coisa que não foi totalmente verdade porque o material não estava pronto jornalisticamente para discutir. Eu aprendi essa lição de que, até estarmos prontos, não vou discutir o material. Mas eu posso falar que tem muitos artigos, muitas discussões e declarações que são graves e muito importantes e que serão publicados logo, explicou o jornalista.

 

PORTARIA QUE PODE SIGNIFICAR A DEPORTAÇÃO DE GLENN GREENWALD

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald tem 52 anos, reside no Brasil há 14 anos e é casado com o deputado David Miranda (PSol-RJ). Greenwald ficou conhecido mundialmente, em junho de 2013,  após publicar uma série de reportagens, produzidas a partir de um acervo retirado ilegalmente da Agência de Segurança Nacional (NSA), conquistando o Prêmio Pulitzer de jornalismo em 2014. O trabalho de Greenwald sobre a história de Snowden foi apresentado no documentário Citizenfour, que ganhou o Oscar de Melhor Documentário, naquele ano.

 

Desde o início da divulgação dos diálogos, Greenwald se defronta com Moro. Na opinião do jornalista, o ex-juiz da Lava Jato ultrapassou os limites da lei por ter trabalhado sem transparência. “Qualquer pessoa que pode usar o poder nas sombras, sem transparência na investigação, vai ser corrupto. É da natureza humana”, afirma.

 

A Portaria regula o impedimento de ingresso, a repatriação, a deportação sumária, a redução ou cancelamento do prazo de estada de pessoa perigosa para a segurança do Brasil ou de pessoa que tenha praticado ato contrário aos princípios e objetivos dispostos na Constituição Federal, para aplicação do § 2º do art. 7º, da Lei nº 9.474, de 22 de julho de 1997, do inciso IX do art. 45 e do § 6º do art. 50 da Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017, do parágrafo único do art. 191 e do art. 207, ambos do Decreto nº 9.199, de 20 de novembro de 2017. A Portaria criado pelo Juiz Sérgio Moro é flagrantemente inconstitucional, pois seu objetivo é agredir a liberdade de imprensa, exercida pelo fundador do Intercpet e protegida nos artigos 5º e 220 da Carta Magna.

 

SUPOSTOS HACKERS PRESOS PELA PF NÃO SÃO FONTE DO INTERCEPT

A revista Veja publicou matéria nesta sexta-feira (26/7) em que descarta a possibilidade dos supostos hackers presos pelo ministro Sérgio Moro serem as fontes do site The Intercept Brasil. De acordo com a matéria, o jornalista Glenn Greenwald  certificou-se no dia 5 de junho (antes do início da série #VazaJato no dia 9 de junho) que suas fontes não invadiram o Telegram do ministro da Justiça, Sergio Moro.

 

Greenwald disponibilizou à Veja um print das conversas que manteve sobre esse tema com as fontes. Entretanto, foi o jornalista Lauro Jardim, do O GLOBO, quem primeiro desmascarou a farsa dos hackers mostrando que as mensagens publicadas partiram de Brasília e não de Araraquara (SP) como foi divulgado pela imprensa. 

 

SOBRE A GRANDE IMPRENSA

Questionado pelo Metrópoles sobre os objetivos e o tipo de jornalismo praticado pelo Intercept,  Greenwald explicou que o Brasil foi o tipo de país, por muitos anos, dominado por dois ou três veículos grandes, controlados por famílias bem ricas, com a mesma perspectiva. Então, foi muito difícil criar espaço para o jornalismo independente. "Eu sabia disso, mas percebi, pela primeira vez, no impeachment da Dilma, quando quase todos os jornais defenderam o processo. Foi incrível para mim, porque impeachment é o caso mais extremo que uma democracia pode viver. Você pode assistir GloboNews, pode ler a Folha (de S. Paulo), pode ler Época, Veja, O Globo e quase não tinha diferença nenhuma sobre o impeachment. 

 

Foi nessa época que eu percebi que o país estava precisando muito de jornalismo independente, para dar voz a outras pessoas que não estavam sendo ouvidas. E também tem blogueiros, jornalistas independentes muito bons aqui, com muita energia", analisou Gleen.

 

JORNALISMO INDEPENDENTE

O jornalista norte-americano ressaltou que os blogueiros aqui no Brasil são melhores do que em qualquer país, mas não são muito financiados. "Então, nossa ideia, quando criamos o The Intercept Brasil foi fazer jornalismo independente, sem prioridade para qualquer partido para o governo nem Polícia Federal, establishment, mas bem financiado. Então, criamos uma equipe que pode fazer jornalismo investigativo, profissional. Nossa ideia era exatamente o que estamos fazendo agora, levando transparência para as facções que estavam sendo protegidas pela grande mídia" observou.

 

Greenwald lembrou que nos últimos quatro ou cinco anos, Sergio Moro e a Lava Jato fizeram um trabalho bom por um lado, mas com consequências muito graves para o país. "Não tinha quase nenhuma transparência, nenhuma investigação, nenhum questionamento. Tem jornalista fazendo isso, mas muito pouco.  Agora, por exemplo, quando estamos procurando parceiros com quem podemos trabalhar com esse acervo, temos opções além de Veja e Folha. Temos sites pequenos, mas muitos profissionais que fazem jornalismo bom, com quem podemos trabalhar. Isso está mostrando que, finalmente, no Brasil, o jornalismo independente está crescendo. Esse espaço está abrindo por causa da Internet e porque as pessoas perderam a fé na grande mídia. Tudo isso está me dando muito otimismo", revelou.

Please reload

PLURALIDADE DE IDEIAS E  DIVERSIDADE DE PENSAMENTOS

Oblog www.esquinademocratica.com aborda temas relacionados à política e à administração pública, sempre a partir da defesa incondicional dos direitos humanos e do pleno exercício da cidadania. Lutamos pela democratização da informação e da comunicação e buscamos exercer o JORNALISMO de forma LIVRE e INDEPENDENTE. Defendemos a pluralidade de ideias e a diversidade de pensamentos, por meio de um jornalismo politicamente engajado em um projeto de sociedade popular e de esquerda.

MAPA
do jornalismo independente no Brasil

O www.esquinademocratica.com está no mapa do jornalismo Independente brasileiro. O mapeamento é realizado desde 2015 pela Pública, primeira agência de jornalismo investigativo sem fins lucrativos do país. No mapa interativo foram selecionadas iniciativas que nasceram na rede, fruto de projetos coletivos e não ligados a grandes grupos de mídia, políticos, organizações ou empresas (http://apublica.org/mapa-do-jornalismo/#_).

asq.png

https://theintercept.com/brasil/

https://www.brasildefato.com.br/

https://www.brasil247.com/

https://www.sul21.com.br/

https://www.redebrasilatual.com.br/

https://revistaforum.com.br/

https://apublica.org/

http://desacato.info/

http://anujornalismo.com/

http://www.nonada.com.br/

www.cartacapital.com.br

http://www.independente.jor.br/

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/

https://www.ocafezinho.com/

http://www.correiocidadania.com.br/

https://passapalavra.info/

https://www.rioonwatch.org/

https://www.novaimprensa.com/

http://revistaberro.com/

http://marcozero.org/

https://midiaindependente.org/

https://outraspalavras.net/

https://enoisconteudo.com.br/agencia/

http://revistagambiarra.com.br/

https://subversivos.libertar.org/

https://mobilize.org.br/

https://www.facebook.com/coletivosup/?fref=ts

https://www.extraclasse.org.br

https://www.pressenza.com/pt-pt/

https://www.jornalja.com.br/

https://operamundi.uol.com.br/

https://www.saibamais.jor.br/

http://www.anf.org.br/

http://periferiaemmovimento.com.br/

https://azmina.com.br/

http://ecos-periferia.blogspot.com/

https://www.viomundo.com.br/

http://jornalocidadao.net/

https://revistaafirmativa.wixsite.com/afirmativa

http://faroljornalismo.cc/blog/

http://jornalismojunior.com.br/

https://calle2.com/

https://gz.diarioliberdade.org/

https://medium.com/brio-stories

http://jornalismocolaborativo.com/

http://coletivocatarse.com.br/

https://www.nexojornal.com.br/

https://www.jota.info/

https://jornalistaslivres.org/

https://catarinas.info/

https://reporterbrasil.org.br/

https://www.facebook.com/MidiaNINJA/

http://baraodeitarare.org.br/site/

http://www.fluxo.net/

http://reinventajornalista.com.br/

http://jornalismob.com/

https://paragrafo2.com.br/

https://www.cnet.com/news/?tag=typo

http://desabafosocial.com.br/

https://aosfatos.org/

http://www.aescotilha.com.br/

NOTÍCIAS

Please reload

ARQUIVOS