Greve nacional por onda de demissões na Argentina

 

Uma multidão de 50 mil pessoas reuniu-se no dia 24 de fevereiro na Praça de Maio, em Buenos Aires, contra as demissões em massa, contra a criminalização da manifestação e pela liberdade da militante presa Milagro Sala. Os manifestantes também exigem que o governo não imponha tetos nos acordos salariais, conhecidos como paritárias na Argentina. A manifestação acompanhou a greve de 24 horas realizada pela Associação de Trabalhadores do Estado (ATE), sindicato de trabalhadores públicos.

 

Desde o começo do novo governo foram demitidas perto de 25 mil pessoas e muitos programas foram esvaziados. É o caso de alguns órgãos de direitos humanos e de investigação de lavagem de dinheiro. O macrismo, por sua parte, anunciou essa semana que as demissões no Estado continuaram.

 

publicado originalmente no site:

https://medium.com/jornalistas-livres/greve-nacional-por-onda-de-demiss%C3%B5es-na-argentina-925b7746030d#.vtqahqkg4

 

Daniel Catalano, Secretario General da ATE Capital, expressou: “Devemos construir a resistência necessária em cada setor de trabalho para parar essa onda de demissões: as nossas reclamações são profundamente sérias. Nos somos trabalhadores do Estado orgulhosos”. Também leu uma carta escrita por Milagro Sala, que se solidarizou com a luta dos servidores públicos em tudo o pais.

 

Além de servidores públicos, diversas centrais de trabalhadores e trabalhadoras se juntaram a manifestação. Teve sindicatos de portuários, jornalistas, ferroviários, professores, gráficos, funcionários da saúde, judiciais, economia popular, organizações políticas e de direitos humanos. Pesquisadores do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (Conicet) fizeram uma concentração frente ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Manifestações similares ocorreram simultaneamente em Santa Fé, Córdoba, Rio Negro, Entre Rios, Jujuy, Catamarca e Santa Cruz, entre outras províncias.

 

Outros dirigentes sindicais também tomaram a palavra durante o ato na Praça de Maio. Jorge Yacovsky, de profissionais médicos disse: “Hoje paramos 80 hospitais na província de Buenos Aires, na Capital Federal e outros tantos em 20 províncias argentinas”. Desde o grêmio de professores de Buenos Aires, Roberto Baradel expôs: “Precisamos da união dos trabalhadores para voltar a ter uma pátria solidária; temos que ser capazes de construir pontes com toda a classe trabalhadora para vencer ao neoliberalismo”. Sindicalistas do Chile, Uruguai e Brasil, como José Lorenzo da CUT, estiveram presentes prestando solidariedade aos trabalhadores argentinos.

 

Essa foi a primeira grande mobilização desde que o Ministério de Segurança da Nação anunciou o “Protocolo de atuação de segurança do Estado em manifestações públicas”. Entre outras medidas de caráter repressivo, o protocolo permite o uso da força policial contra manifestantes que obstruam vias públicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

PLURALIDADE DE IDEIAS E  DIVERSIDADE DE PENSAMENTOS

Oblog www.esquinademocratica.com aborda temas relacionados à política e à administração pública, sempre a partir da defesa incondicional dos direitos humanos e do pleno exercício da cidadania. Lutamos pela democratização da informação e da comunicação e buscamos exercer o JORNALISMO de forma LIVRE e INDEPENDENTE. Defendemos a pluralidade de ideias e a diversidade de pensamentos, por meio de um jornalismo politicamente engajado em um projeto de sociedade popular e de esquerda.

MAPA
do jornalismo independente no Brasil

O www.esquinademocratica.com está no mapa do jornalismo Independente brasileiro. O mapeamento é realizado desde 2015 pela Pública, primeira agência de jornalismo investigativo sem fins lucrativos do país. No mapa interativo foram selecionadas iniciativas que nasceram na rede, fruto de projetos coletivos e não ligados a grandes grupos de mídia, políticos, organizações ou empresas (http://apublica.org/mapa-do-jornalismo/#_).

asq.png

https://theintercept.com/brasil/

https://www.brasildefato.com.br/

https://www.brasil247.com/

https://www.sul21.com.br/

https://www.redebrasilatual.com.br/

https://revistaforum.com.br/

https://apublica.org/

http://desacato.info/

http://anujornalismo.com/

http://www.nonada.com.br/

www.cartacapital.com.br

http://www.independente.jor.br/

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/

https://www.ocafezinho.com/

http://www.correiocidadania.com.br/

https://passapalavra.info/

https://www.rioonwatch.org/

https://www.novaimprensa.com/

http://revistaberro.com/

http://marcozero.org/

https://midiaindependente.org/

https://outraspalavras.net/

https://enoisconteudo.com.br/agencia/

http://revistagambiarra.com.br/

https://subversivos.libertar.org/

https://mobilize.org.br/

https://www.facebook.com/coletivosup/?fref=ts

https://www.extraclasse.org.br

https://www.pressenza.com/pt-pt/

https://www.jornalja.com.br/

https://operamundi.uol.com.br/

https://www.saibamais.jor.br/

http://www.anf.org.br/

http://periferiaemmovimento.com.br/

https://azmina.com.br/

http://ecos-periferia.blogspot.com/

https://www.viomundo.com.br/

http://jornalocidadao.net/

https://revistaafirmativa.wixsite.com/afirmativa

http://faroljornalismo.cc/blog/

http://jornalismojunior.com.br/

https://calle2.com/

https://gz.diarioliberdade.org/

https://medium.com/brio-stories

http://jornalismocolaborativo.com/

http://coletivocatarse.com.br/

https://www.nexojornal.com.br/

https://www.jota.info/

https://jornalistaslivres.org/

https://catarinas.info/

https://reporterbrasil.org.br/

https://www.facebook.com/MidiaNINJA/

http://baraodeitarare.org.br/site/

http://www.fluxo.net/

http://reinventajornalista.com.br/

http://jornalismob.com/

https://paragrafo2.com.br/

https://www.cnet.com/news/?tag=typo

http://desabafosocial.com.br/

https://aosfatos.org/

http://www.aescotilha.com.br/

NOTÍCIAS

Please reload

ARQUIVOS