PANDEMIA DE CORONAVÍRUS CAUSOU A REDUÇÃO DE 870 MIL POSTOS DE TRABALHO INFORMAIS NO BRASIL, EM MAIO


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, na terça-feira (16/6), os primeiros resultados da PNAD COVID-19, uma versão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua) para “identificar os impactos da pandemia no mercado de trabalho e para quantificar as pessoas com sintomas associados à síndrome gripal”. A pesquisa aponta a redução de ao menos 870 mil postos de trabalho informais no país ao longo do mês de maio.


A pesquisa registrou que, no começo do mês, o Brasil tinha 29,1 milhões de trabalhadores na informalidade – classificados como aqueles que atuam no setor privado ou em serviço doméstico sem carteira assinada,  quem não contribuem para o INSS e que realizam serviços domésticos de cuidado não remunerado. No final do levantamento, o índice de informalidade recuou com a redução de 870 mil postos de trabalho.


A PNAD COVID-19 mostra que 3,6 milhões de pessoas com sintomas de gripe procuraram atendimento médico em unidades da rede pública e privada de saúde no país – mais de 80% desses atendimentos foram na rede pública de saúde, com preferência às UBS (Unidade Básica de Saúde) e aos postos de atendimento básico. *Com informações da Agência IBGE

rodapé ed.png