MAIS DE QUATRO MIL JORNALISTAS TIVERAM IMPACTOS SALARIAIS DURANTE A PANDEMIA NO BRASIL


De acordo com levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), 3.930 jornalistas que trabalham em redações com carteira assinada, nas bases de 16 sindicatos do País, tiveram redução de salário e de jornada durante a pandemia. Outros 81 profissionais tiveram seus contratos de trabalho suspensos e 205 foram demitidos.

O diagnóstico foi elaborado pelo Departamento de Mobilização, Negociação Salarial e Direito Autoral da Fenaj, com informações levantadas pelos Sindicatos de Jornalistas de diversas capitais. O estudo se deu a partir dos acordos individuais e coletivos possibilitados pela Medida Provisória 936/2020, que foi convertida na Lei 14.020/2020, criando o Programa Emergencial de Emprego e Renda.


A maioria dos acordos notificados pelos sindicatos foi de redução de 25% dos salários e das jornadas, com 3.808 jornalistas afetados, assinados individualmente pelos trabalhadores, já que a MP determina a obrigatoriedade de acordo coletivo assinado com os sindicatos somente para reduções de 50% e 70% dos salários, afetando 122 jornalistas. Conforme com o levantamento, os acordos foram assinados em 110 empresas brasileiras.


A Fenaj entende que os dados são alarmantes, considerando a condição de risco que os profissionais enfrentam no contexto de pandemia. "Os jornalistas foram incluídos entre os profissionais de atividades essenciais. Mas, diferentemente de trabalhadores da linha de frente, que em alguns casos conquistaram, merecidamente, algum tipo de adicional, nós fomos submetidos às medidas que reduzem direitos durante a crise sanitária. Enquanto arriscamos nossas vidas na cobertura noticiosa e nas assessorias de imprensa, somos massacrados pela redução salarial, as suspensões e as demissões", diz Rafael Mesquita, diretor do Departamento de Mobilização, Negociação Salarial e Direito Autoral da entidade.


Além disso, a Fenaj alerta que os dados são subnotificados, já que corresponde a pouco mais da metade da quantidade de Sindicatos de Jornalistas que representam a categoria no País. A federação ainda ressalta que é de responsabilidade das empresas notificarem as entidades sindicais sobre a ocorrência de acordos individuais.