LIVRO DE EDUARDO CUNHA SERÁ LANÇADO NO DIA 17 DE ABRIL E PROMETE REVELAÇÕES BOMBÁSTICAS


A revista Veja publicou trechos do livro Tchau, Querida – O Diário do Impeachment, escrito pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha. De acordo com Veja, a obra, que começou a ser escrita na prisão, contem revelações bombásticas. Uma delas é de que o então vice-presidente Michel Temer (MDB) agiu “de todas as maneiras” para viabilizar o golpe que derrubou a então presidenta Dilma Rousseff.


Em um dos trechos, Cunha afirma que “Jamais esse processo de impeachment teria sido aprovado sem que Temer negociasse cada espaço a ser dado a cada partido ou deputado que iria votar a favor da abertura dos trâmites”, citando como exemplo a nomeação de Marcos Antônio Pereira, do Republicanos, para o Ministério da Indústria e Comércio Exterior.


Pereira foi nomeado no dia 12 de maio de 2016, para o cargo de Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, época em que Michel Temer havia assumido como interino na Presidência. A nomeação foi publicada na edição de 13 de maio do Diário Oficial da União (DOU). O então ministro pediu demissão no dia 3 de janeiro de 2018 após ser mencionado na Operação Lava Jato, como beneficiário de propina da empresa Odebrecht. Pouco tempo depois, Marcos renunciou ao cargo para “tratar” de questões pessoais e partidárias.