LIMA DUARTE FALA SOBRE FLÁVIO MIGLIACCIO E LEMBRA DA DITADURA: "SENTIMOS O HÁLITO PUTREFATO DE 1964"


Impossível não se emocionar com o vídeo gravado pelo ator Lima Duarte, de 90 anos, em que fala da morte do ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, ocorrido na segunda-feira, 4 de maio. Migliaccio deixou uma carta de despedida em que dizia: “Me desculpem, mas não deu mais. A velhice neste país é o caos como tudo aqui. A humanidade não deu certo. Eu tive a impressão que foram 85 anos jogados fora num país como este. E com esse tipo de gente que acabei encontrando. Cuidem das crianças de hoje!”


Lima Duarte trabalhou no teatro, no cinema e na televisão e é um dos mais importantes atores brasileiros. O vídeo é uma homenagem ao colega e amigo. Lima Duarte começa a sua mensagem respondendo ao amigo: “Eu te entendo, Migliacci.” Em seguida, faz referência ao Teatro de Arena, na época dirigido por Augusto Boal, e narra uma lembrança dos tempos sombrios da ditadura militar, quando à noite esperavam que uma “Veraneio” (veículo usado pela polícia política, o DOPS), os viesse buscar. Um dia foi a vez de Lima Duarte, que só teve tempo de pedir a um amigo que fosse a sua casa dizer às filhas: “Papai volta! Papai volta!”


Lima Duarte ficou conhecido pelos inúmeros personagens que representou, como Sinhozinho Malta, na novela “Roque Santeiro”; ou o de Zeca Diabo, na novela “O Bem Amado”.


VAZAMENTO DAS FOTOS DE MIGLIACCIO CAUSA

INDIGNAÇÃO DA FAMÍLIA E DE COLEGAS


A família do ator Flávio Migliaccio vai processar o Estado após tomar conhecimento de que dois policias militares tiraram fotos e divulgaram as imagens do corpo dele em uma rede social. Migliaccio, que tinha 85 anos, foi encontrado morto pelo caseiro, no seu sítio, em Rio Bonito, no Rio de Janeiro, na manhã de segunda-feira (4/5). O advogado da família disse que vai processar os policiais por vilipêndio de cadáver e vai buscar indenizações do Estado pelos danos causados "pela absurda, abusiva e mórbida" divulgação da foto. Sylvio Guerra afirma que a atitude viola a imagem do ator, bem como o luto da família, amigos e fãs.


"Foi uma violência, um desrespeito! Estarei tomando todas as medidas judiciais cabíveis em face de dois agentes do Estado, dois policiais militares, que divulgaram foto de meu cliente em condições que se encontrava dentro de seu quarto após suicidar-se. Esses policiais carregam a bandeira do Estado em suas fardas. Ressaltamos que a fotografia foi feita dentro da propriedade privada, sem autorização da família e divulgada em redes sociais", declarou o advogado à reportagem. 

6 visualizações

Jornalista Responsável - Alexandre Costa (mtb -7587)