JORNALISMO DO GRUPO MATINAL VEM CONQUISTANDO ESPAÇO DO EXIGENTE PÚBLICO GAÚCHO


As matérias publicadas pelo Grupo Matinal de Jornalismo vêm chamando a atenção dos gaúchos e aos poucos têm conquistando o seleto e exigente público que habita o estado mais ao sul do Brasil. Para compreender os motivos pelos quais o Matinal vem conquistando espaço no jornalismo do Rio Grande do Sul, basta ler, por exemplo, duas reportagens publicadas nesta semana no seu site. A primeira delas é "Como a UFPel realizou a maior pesquisa sobre a Covid-19 no mundo", assinada pela Naira Hofmeister e postada no dia 5 de agosto. A segunda é do Juan Ortiz e foi postada nesta sexta-feira (7/8), tendo como título "Brasil é denunciado em órgão internacional por negligência em dois hospitais psiquiátricos gaúchos".

As duas reportagens citadas acima são as mais recentes, mas o bom jornalismo praticado pela equipe de 15 profissionais está distribuído pelos inúmeros textos postados no site e pelos produtos oferecidos pelo Grupo, como a Matinal News. A newsletter que carrega notícias relevantes publicadas sobre Porto Alegre e Rio Grande do Sul nos principais veículos do Estado foi o primeiro trabalho produzido pela Matinal, em 11 de março de 2019. No final do mesmo ano, a newsletter se uniu ao site rogerlerina.com.br e à revista digital Parêntese, transformando-se no Matinal Jornalismo.


O empreendimento iniciou com Filipe Speck, Tiago Medina e Paulo Serpa. E cresceu bastante com o jornalista cultural Roger Lerina, editor do site que leva seu nome, e com o professor Luís Augusto Fischer, editor da revista Parêntese. Atualmente, o Matinal Jornalismo conta com uma equipe de 15 profissionais, entre editores, repórteres e social media, além de colaboradores que produzem textos, ensaios, fotografias, desenhos e reportagens. Integram a equipe os repórteres da Agência Fronteira, capitaneada pela jornalista Silvia Lisboa, a editora-chefe Marcela Donini e a chefe de reportagem Naira Hofmeister.

No site, o Matinal faz referência ao seu trabalho que "traz o aspecto local para a dimensão global, com uma visão cosmopolita e tendo como horizonte a humanidade. Cultivar a pluralidade – seja ao divulgar um amplo espectro de opiniões, seja ao focalizar mais de um ângulo da notícia – e praticar um jornalismo de excelência são valores do Grupo".


AUXILIO EMERGENCIAL DO GOOGLE O site coletiva.net publicou no final de junho uma matéria contando como o Grupo Matinal Jornalismo foi contemplado pelo novo programa do Google News Initiative. No total, o Fundo de Auxílio Emergencial ao Jornalismo beneficiou 380 veículos brasileiros. Os recursos do Google ajudaram empresas regionais de imprensa, de pequeno e médio porte, que estão sofrendo impacto econômico devido à pandemia de Covid-19. Em todo o mundo, foram cerca de 12 mil veículos inscritos e mais de 5.300 selecionados.

Os recursos do Google estão sendo utilizados para reforçar a cobertura de temas como as eleições na Capital e a crise causada pela pandemia, no Rio Grande do Sul. Os recursos do Fundo variam entre 5 e 30 mil dólares - o equivalente a 26,5 mil a 159 mil reais - conforme a região atendida e o porte do veículo. Para participar, as empresas precisavam estar adequadas a alguns critérios como: ser uma organização local de mídia, produzir conteúdo original hard news, ter presença digital e ser formada por redação com 2 a 100 jornalistas em tempo integral.  Além disso, um dos critérios de seleção foi o modelo de cobertura sobre a pandemia do novo coronavírus. O Matinal Jornalismo criou o Zap Matinal, junto com a ONG Moeda do Bem, serviço temporário de notícias via WhatsApp, em áudio e com linguagem simples, e que alcançou a periferia de Porto Alegre.

rodapé ed.png