INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA PRODUZIDA NA RÚSSIA: DOSAGEM, EFEITOS COLATERAIS, TESTAGEM E PRODUÇÃO


Por meio de videoconferência televisionada de seu gabinete, o presidente Vladmir Putin apresentou nesta terça-feira (11/8) o primeiro registro no mundo de uma vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2. A substância usa partículas inanimadas do coronavírus injetadas em um adenovírus, que não traz efeitos significativos em seres humanos. O material genético “infeccioso” do adenovírus é trocado por um código de proteína de outro vírus – no caso o coronavírus. Imunizações com adenovírus são comuns na medicina. De acordo com Aleksandr Gintsburg, diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, a vacina não oferece nenhum risco à saúde. Reunimos algumas informações sobre a vacina produzida na Rússia, como dosagem, efeitos colaterais, e testagem.

DOSES De acordo com o site oficial da vacina (https://sputnikvaccine.com/prt/about-vaccine/index.php)são necessárias duas doses, com espaço de 21 dias entre uma e outra dose. Um infográfico disponível na página oficial mostra como o adenovírus é usado como vetor e explica a revacinação:

EFEITOS De acordo com Gintsburg, a vacina causaria, no máximo, “desconforto”, porque o sistema imunológico começa a reagir fortemente quando a imunização introduz um antígeno estranho. Algumas pessoas têm um aumento de temperatura natural sob estas circunstâncias. Durante ensaios clínicos da vacina, a temperatura em voluntários subiu para 37 °C, às vezes para 38 °C, mas este problema é "eliminado com um comprimido de paracetamol", aponta o cientista. TESTES E FASES Os testes da vacina desenvolvida pelo Gamaleya começaram na Universidade Sechenov, em Moscou, no dia 18 de junho. Durante o estudo, a segurança da vacina foi confirmada em 38 participantes, com todos os que testaram a vacina desenvolvendo imunidade à infecção. De acordo com Putin, a própria filha dele participou desta etapa.Isso significa, no entanto, que a vacina ainda não passou por todas as fases de avaliação antes do registro. A terceira, e mais importante, é aquela em que se testa a substância em um grupo muito grande de indivíduos, incluindo aí pessoas vulneráveis e de grupos de risco. Em tese, o registro de uma vacina só pode ser feito após a fase 3, mas o processo russo foi adiantado e essa última etapa começa agora, com a aplicação em 2.000 pessoas em diversas partes do mundo. VACINA EM JANEIRO O presidente da Rússia anunciou que a vacinação deve iniciar em outubro e estará disponível para toda a população em janeiro. A terceira e última fase de testes começou na semana passada, mas as autoridades russas afirmam que a vacina oferece "imunidade sustentável" contra o Sars-CoV-2.

PRODUÇÃO DE UMA VACINA

Informações do Sputnik e do site operamundi.ul.com.br