HOMENAGEM DE PEDRO RUAS A LEONEL BRIZOLA, QUE COMPLETARIA 99 ANOS NESTA SEXTA-FEIRA, 22 DE JANEIRO


Pedro Ruas (PSOL) homenageou Leonel de Moura Brizola, que completaria 99 anos de idade, nesta sexta-feira (22/1). O vereador de Porto Alegre usou sua página no facebook para registrar a data e seu apreço por um dos mais importantes políticos do Rio Grande do Sul e do Brasil. "Fica aqui, como sempre, minha homenagem, pois tive a honra de ser seu amigo e liderado por 26 anos. Nessa quadra trágica da vida nacional, mais e mais avulta a falta da sua presença, sua liderança e coragem na condução dos caminhos do nosso povo, com quem ele sempre teve um profundo e comovente compromisso", escreveu Ruas.


Brizola nasceu em Carazinho no 22 de janeiro de 1922 e em 1936 se transferiu para Porto Alegre, onde estudou, trabalhou como engraxate, graxeiro, ascensorista e servidor público. Ingressou no curso de engenharia civil na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1945 e se formou quatro anos depois. Ainda estudante ingressou na política, ficando responsável por organizar a ala jovem do Partido Trabalhista Brasileiro. Em 1950, Brizola se casou com Neusa Goulart, com quem teve três filhos. Em 1947, Brizola foi eleito deputado estadual pelo PTB e em 1954 foi eleito deputado federal, com uma votação recorde. Dois anos depois, foi eleito prefeito de Porto Alegre e, em 1958, governador do Rio Grande do Sul.

Como governador do Rio Grande do Sul promoveu a Campanha da Legalidade em defesa da democracia e da posse de João Goulart como presidente da República. Em 1962, transferiu seu domicílio eleitoral para a Guanabara, estado pelo qual elegeu-se deputado federal. Durante o governo de Goulart, que era irmão de Neusa, Brizola e o cunhado mantiveram uma relação tumultuada. Reataram e se uniram novamente antes do golpe miltar de 1964. Depois que suas propostas de resistência não foram bem-sucedidas, Brizola exilou-se no Uruguai, viveu nos Estados Unidos e em Portugal, permancendo fora do Brasil por 15 anos.


Voltou ao Brasil em 1979 e fundou e presidiu o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em 1982, foi eleito governador do Rio de Janeiro. Depois disso, Leonel Brizola foi candidato à presidência da República em 1989 e 1994, mas foi derrotado em ambas. Leonel de Moura Brizola faleceu no dia 21 de junho de 2004, no Rio de Janeiro, vítima de um infarto agudo do miocárdio.