COMITÊ EM DEFESA DA DEMOCRACIA RESSALTA QUE “A FOME NÃO ESPERA" E PEDE DOAÇÕES PARA OS MAIS POBRES


BRASIL DE FATO - RS Com o argumento de que “a fome não espera”, o Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito já distribuiu centenas de cestas básicas aos moradores das vilas de Porto Alegre. Também arrecadou e distribuiu valores às associações, mutirões e movimentos da periferia da capital engajados no enfrentamento das dificuldades da população mais pobre agravadas pela pandemia, a recessão e a redução da renda familiar. Agora, o comitê está reiterando a necessidade de ajuda aos mais desamparados, visando arrecadar recursos para adquirir mais cestas básicas.


A campanha começou em março tendo justamente como slogan “A fome não espera” e conseguiu juntar R$ 41.708,23, dos quais já foram gastos R$ 40.590,99. Foram beneficiadas – com cestas ou valores – instituições da Vila Nazaré, Lomba do Pinheiro, Cruzeiro e Campo da Tuca. Também famílias de baixa renda dos bairros Glória e Lami, das ilhas do Guaíba, a Ocupação Mirabal, além da comunidade indígena Mbyá Guarani e do apoio prestado aos trabalhadores de aplicativos em greve por melhores condições de trabalho.


As cestas são entregues mensalmente mas, para tanto, o comitê precisa continuar recebendo doações para revertê-las nos bens destinados às famílias necessitadas.  O apelo é no sentido de que quem tiver condições de colaborar que o faça logo e com o valor que puder. As doações são fundamentais para atender às famílias neste mês de setembro.

Os depósitos devem ter 99 centavos no final (como R$ 50,99, R$ 100,99 etc.), para que o comitê possa identificar a campanha a que se destina o depósito. A conta do Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito é Banco do Brasil, Agência 1249-1, Conta Corrente 69454-1, em nome de Sueli Mousquer (CPF 194 394 580-20) e Denise Galeazzi (CPF 078 583 700-06).


Edição: Ayrton Centeno

rodapé ed.png