BOLSONARO, FILHOS E INTEGRANTES DO GOVERNO SÃO "HACKEADOS" E DADOS SÃO USADOS PARA FILIÁ-LOS AO PT


O grupo Anonymous protagonizou momentos de tensão nas redes sociais na noite da segunda-feira (1/6), ao realizar uma série de postagens através do Twitter, anunciando uma suposta revelação sobre ligações de Jair Bolsonaro à morte de “figura pública” no Brasil. A mensagem foi disparada por uma conta desconhecida, que faz parte de “dezenas de contas com o nome Anonymous". Na manhã desta terça-feira (2/6), o perfil no Twitter do grupo Anonymous, da divisão brasileira de uma comunidade internacional de hackers ativistas, afirmou que o perfil da conta de onde partiu a mensagem é falso, “desconhecido” e não integra a comunidade que faz parte de “dezenas de contas com o nome Anonymous”, recentemente criadas. 


O fato é que os dados pessoais e as informações confidenciais do presidente Jair Bolsonaro e de aliados foram hackeados. Além dos filhos Eduardo, Flávio e Carlos Bolsonaro, a invasão atingiu também os ministros Abraham Weintraub, da Educação, e Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos. Mas a ação criminosa dos hackers adquiriu um viés cômico. Com a divulgação dos dados nas redes sociais, internautas usaram as informações e filiaram os membros do governo ao Partido dos Trabalhadores (PT).


No Twitter, no entanto, o perfil do PT afirmou que o pedido de filiação de Jair Bolsonaro foi “indeferido”. De acordo com o sistema do PT, Carlos e Eduardo Bolsonaro também estão sob análise, assim como Weintraub. A ministra Damares é a única que ainda não teve seu CPF cadastrado no partido. Além destes o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), apoiador do presidente, também teve seus dados compartilhados e aguarda resposta do PT para sua filiação. O deputado chegou a se posicionar minutos depois do vazamento, afirmando que faria um boletim de ocorrência.

0 visualização

PAULO TIMM NA VALE DO MAMPITUBA WEB RÁDIO - DAS 8H ÀS 10H

rodapé ed.png