APÓS FLEXIBILIZAÇÕES,GAÚCHOS ESTÃO EM ALERTA COM AUMENTO DA OCUPAÇÃO DOS LEITOS DE UTI PELO COVID-19


A situação da pandemia de coronavírus no Rio Grande do Sul (RS), que até pouco tempo atrás era vista como uma das mais brandas em relação à realidade no Brasil, sofreu um revés, a partir de informações sobre o crescimento da taxa de ocupação dos leitos de UTI em todo estado. Até ontem, terça-feira (9/6), o número total de mortes no RS por Covid-19 era de 309 pessoas, além dos 12.802 604 casos confirmados da doença no estado. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), o percentual de pessoas que contraíram o vírus e se recuperaram é de 81%, o que em números absolutos representa 10.410 pessoas. A taxa de ocupação dos leitos de UTI na tarde de terça-feira era de 72,5%.


O alerta de avanço da pandemia sobre os gaúchos motivou o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), a suspender novas flexibilizações que seriam anunciadas ainda nesta semana. De acordo com o governador Eduardo Leite (PSDB), cinco regiões do Rio Grande do Sul registraram aumento de hospitalizações por Covid-19, na semana passada. Caso os indicadores indiquem a tendência de elevação da ocupação de leitos hospitalares, incidindo na mudança de cor da bandeira (que define o nível das restrições), governo anunciará novas medidas de distanciamento social. As cinco zonas onde foram identificadas elevação da ocupação de leitos são Erechim, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Santa Maria e Taquara.


O Diário Oficial da União publicou na terça-feira (9/6), o pagamento de R$ 45,2 milhões para o Rio Grande do Sul habilitar mais 314 leitos de UTI, especificamente destinados a pacientes com Covid-19. No total, somando a rede pública e privada, o estado dispõe de 1.936 leitos de tratamento intensivo, dos quais 1.406 estão ocupados, (202 por pacientes com coronavírus e outros 122 por casos considerados suspeitos). 

0 visualização

PAULO TIMM NA VALE DO MAMPITUBA WEB RÁDIO - DAS 8H ÀS 10H