JORNALISMO ESTÁ DE LUTO COM MORTE DE PAULO HENRIQUE AMORIM


O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu na madrugada desta quarta-feira (10), no Rio de Janeiro, vítima de um infarto fulminente. A informação foi confirmada pela TV Record, onde ele trabalhava desde 2003 mas estava afastado desde o junho. Amorim tinha 77 anos e deixa mulher e filha. Em 58 anos de carreira, passou pelas principais emissoras do país, como Globo, Bandeirantes, Cultura e Record, onde apresentava até recentemente o programa Domingo Espetacular. Amorim trabalhou em quase todos grandes veículos e canais de mídia do Brasil.

Amorim também mantinha o blog Conversa Afiada, que mantinha desde 2008, e se notabilizou pelo apoio a Lula e ao PT, e críticas frequentes à Lava Jato e ao presidente Jair Bolsonaro. Ele ajudou a popularizar o termo "PIG", ou "Partido da Imprensa Golpista", modo pejorativo usado para designar veículos de comunicação que, segundo ele, apoiavam um golpe contra os Governos petistas. Sua estreia foi no jornal A Noite, em 1961. Ele também foi correspondente em Nova York para a revista Realidade, e depois Veja.

Recentemente, foi afastado do seu cargo como apresentador do Domingo Espetacular, que exercia desde 2006, da Record, em função das críticas que fez a Sérgio Moro, ex-juiz da Lava Jato e atual ministro da Justiça, e ao presidente e aliado da emissora, Jair Bolsonaro. Conversa Afiada, que mantinha desde 2008.

O jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil, postou via Twitter o último tweet de @ConversaAfiada, em que ironiza o descaso em relação a Queiroz. "Pegam o Nicola da Calábria e não pegam o Queiroz do Rio Comprido". Também pelo Twitter, o jornalista Rubens Valente escreveu: "Em maio, num encontro de jornalismo Europa-AL da União Europeia e Ipys no Peru, citei as dezenas de processos movidos contra Paulo Henrique Amorim. Antes, pedi a ele que mandasse uma frase para eu citar no meu comentário, e foi esta: ´Diz-me quem te processa e te direi quem és!`. As dezenas de processos contra PHA são o caso mais impressionante de assédio judicial no Brasil por conta do exercício do jornalismo. Vc podia discordar do que ele dizia, eu mesmo discordei de críticas a colegas que prezo e admiro, mas liberdade de expressão é exatamente isso", sintetizou Valente.

Fernando Haddad (PT) e Manuela D'Ávila (PCdoB), candidatos nas últimas eleições (a presidente e vice, respectivamente), manifestaram sua tristeza e solidariedade à família.

No último vídeo em seu canal, Paulo Henrique Amorim denunciou o uso político do futebol por Jair Bolsonaro.

Em abril de 2016, o www.esquinademocratica.com esteve com Paulo Henrique Amorim, durante o lançamento do seu livro “O Quarto Poder. em Porto Alegre. Confira no vídeo abaixo.


29 visualizações

Jornalista Responsável - Alexandre Costa (mtb -7587)