EUA PASSAM A CONTROLAR QUASE 90% DA IMPORTAÇÃO BRASILEIRA DE DIESEL


Duas fontes oficiais confirmaram hoje que o diesel é o produto mais importante do Brasil. É o nosso elixir da vida. Conforme já publicamos hoje mais cedo, a produção de diesel é nossa maior indústria, movimentando em média mais de R$ 70 bilhões por ano, segundo o IBGE. O diesel também é o principal produto importado pelo Brasil, o que mais pesa em nossa balança comercial, nos custando em torno de 6 a 7 bilhões de dólares por ano, o que corresponde a quase R$ 30 bilhões.

Se o imperialismo americano olha para a Venezuela com olhos sedentos por seu petróleo, para nós, o seu interesse é controlar o nosso mercado de diesel: nosso consumo, um dos maiores do mundo, e nossas refinarias.

Após o impeachment de Dilma Rousseff, o Brasil passou a produzir cada vez menos diesel internamente e a importar quantidades cada vez maiores, e cada vez concentrando mais nossas compras num só fornecedor: os Estados Unidos.

Entretanto, como ainda produzimos, mesmo com todo o estrago promovido por Temer e já iniciado por Bolsonaro, mais de 70% do diesel consumido no país, há interesse, por parte dos grupos que controlam o refino de petróleo no mundo, e especialmente nos EUA, que é o maior exportador mundial de diesel, de assumir o controle também de nossas refinarias. Com isso, a submissão do Brasil aos interesses econômicos americanos será definitiva e completa.

Segundo o sistema Comextat, vinculado ao Ministério da Economia, o Brasil importou 5,8 bilhões de dólares em diesel nos últimos 12 meses, o que representou uma queda de 11% sobre o ano anterior; em quantidade, a queda foi de 25%, puxada sobretudo pela recessão econômica e pelos preços mais altos.

Entretanto, se olharmos apenas para os números dos EUA, vemos que as refinarias americanas, mesmo com toda a recessão no Brasil, e mesmo com a queda no total de nossas compras de diesel, mantiveram suas vendas para o Brasil relativamente estáveis. As vendas de diesel americano para o Brasil, nos últimos 12 meses, declinaram apenas 2%.

Com isso, a participação americana na importação brasileira de óleo diesel cresceu de 78% em 2017/18 para 86% nos mesmos 12 meses terminados em maio último.

É interessante observar que, dos 10 principais produtos importados pelo Brasil, 7 são relacionados ao petróleo ou à indústria de energia: óleo diesel, plataforma de petróleo, petróleo bruto, carvão, naftas, caminhão (que são movidos a diesel) e, por fim, gasolina.

Aliás, a importação de gasolina, na contramão da recessão, cresceu 7%, e nos custou US$ 850 milhões apenas nos cinco primeiros meses do ano.

PUBLICADO ORIGINALMENTE EM:

https://www.ocafezinho.com/2019/06/06/eua-passam-a-controlar-quase-90-da-importacao-brasileira-de-diesel/


3 visualizações

Jornalista Responsável - Alexandre Costa (mtb -7587)