MANIFESTAÇÕES DEMONSTRAM QUE GOVERNO BOLSONARO VEM PERDENDO APOIO POPULAR


As manifestações em apoio a Bolsonaro demonstram que, em menos de seis meses, o presidente do Brasil perdeu o apoio dos seus eleitores. De acordo com a análise de diversos sites e blogs alternativos, os atos deste domingo (26/5), a favor do governo ficaram aquém das expectativas dos apoiadores do atual presidente e foram menores do que os atos de 15 de maio, contra o contingenciamento de verbas na educação pública federal. Segundo balanço do Portal G1 às 17h de hoje, os atos em favor de Bolsonaro somaram 122 cidades de 21 estados, mais o Distrito Federal. No dia 15, com medição também às 17h, os protestos alcançaram 162 cidades dos 26 estados do país, mais o Distrito Federal, sendo que o dia terminou com atos em 222 cidades.

Uma imagem que simbolizou o fracasso do dia de protestos deste domingo foi registrada na manifestação em Curitiba. Em frente ao prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), uma faixa que trazia mensagem em defesa da educação foi retirada pelos bolsonaristas.

A denúncia foi feita pelo reitor da UFPR, Ricardo Fonseca. “Neste exato momento manifestantes retiraram, com muitos aplausos, uma faixa no Prédio Histórico da UFPR em que estava escrito: “Em defesa da educação”. Inacreditável”, disse Fonseca pelo Twitter.

O ato violento dos bolsonaristas curitibanos faz parte do ambiente de obscurantismo difundido no país por Jair Bolsonaro e seu ministro da Educação, Abraham Weintraub, em campanha contra a Universidade, com perseguições ideológicas e cortes de verbas.

O BLEFE DO SENADOR MAJOR OLÍMPIO

Vídeo publicado pelos Jornalistas Livres mostra o senador Major Olímpio (PSL) durante manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo. Ele afirma que nunca houve tanta gente em uma manifestação e ironizou: "segundo o DataFolha, eu estou sozinho".


EMPRESÁRIO LIGADO A PROSTITUIÇÃO ESTAVA NO CARRO DE SOM

A Revista Época registrou a presença do empresário Oscar Maroni Filho, dono da boate Bahamas, um dos principais pontos de prostituição de São Paulo. Ele participou do protesto pró-Bolsonaro na Avenida Paulista e estava no alto de um carro de som com a faixa Movimento Brasil Conservador.

Grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem pra Rua, que lideraram as manifestações pelo golpe contra a presidenta Dilma Rousseff (PT) e ajudaram a eleger Bolsonaro nas ruas, não compareceram aos protestos deste domingo. Eles reuniram setores com pautas mais conservadoras, como o Direita São Paulo, Revoltados Online e o Clube Militar. Entre as demandas apresentadas na rua, estão a aprovação da reforma da Previdência e do pacote “anticrime” do ministro Sergio Moro. As palavras de ordem mais agressivas eram direcionadas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao chamado “Centrão”, ala que reúne partidos de centro-direita no Congresso Nacional.

Na quinta-feira (30), os estudantes estarão de volta às ruas do país e a expectativa é que a mobilização cresça em relação ao dia 15, já que o governo não sinalizou qualquer mudança no sentido aliviar os cortes orçamentários.

PESQUISAS APONTAM QUEDA DA POPULARIDADE

O governo de Jair Bolsonaro (PSL), pela primeira vez desde o início do mandato, foi negativamente avaliado por uma pesquisa de opinião. Um levantamento do Atlas Político constatou mais avaliações da gestão como ruim ou péssima, 36,2%, do que como ótima ou boa, 28,6%. Uma parcela de 31,3% afirmou considerar o governo regular. Destaca-se o percentual das pessoas que aprovam o governo, que decresceu cinco pontos desde a última pesquisa, realizada em abril. A pesquisa consultou 2 mil pessoas, entre 19 e 21 de maio, e tem margem de erro de 2 pontos percentuais.


18 visualizações

Jornalista Responsável - Alexandre Costa (mtb -7587)