TRABALHADORES VÃO ÀS RUAS NESTA SEXTA DIZER NÃO À 'REFORMA' DA PREVIDÊNCIA


Todos os estados do país e o Distrito Federal organizam manifestações para o Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, nesta sexta-feira (22), em resposta à proposta de "reforma" apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro. Ao todo, atos, panfletagens e outras ações contra a retirada de direitos devem ocorrer ao menos em 78 cidades brasileiras.

Na capital paulista, a concentração está marcada para as 17h, em frente ao Masp, na Avenida Paulista. Na região do ABC, haverá passeata logo cedo saindo da fábrica da Ford, em São Bernardo do Campo. No Rio de Janeiro, o ato ocorre às 16h, na Candelária, região central. Em Belo Horizonte, a manifestação começa também às 17h na Praça Sete, no centro da cidade. Há ainda na parte da manhã atividades nos bairros Barreiro e Venda Nova.

Reunião, seminários, assembleias, atos e paralisações estão previstas para denunciar os riscos dos trabalhadores com a "reforma" da Previdência em Brasília, além do ato agendado para as 17h, na Praça Zumbi dos Palmares, no Setor de Diversões Sul. Em Manaus, a concentração está prevista para as 15h, na Praça da Polícia e deve seguir até a Praça da Matriz, no centro.

Além das capitais, outras 51 cidades das regiões metropolitanas e no interior também programam atos contra a "reforma" da Previdência. As adesões às atividades também acontecem por categorias, como os bancários, que abrirão o dia de manifestações com diversas atividades em agências e concentrações de trabalhadores do ramo financeiro, de acordo com informações da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Desde terça-feira (19), por meio do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, a categoria tem se articulado na região central da cidade para alertar a população sobre os riscos da proposta de destruição da Previdência pelo governo Bolsonaro.

Toda a mobilização é, no entanto, um "esquenta" para uma greve geral, caso a proposta de retirada dos direitos trabalhistas seja levada adiante pelo Congresso. A exemplo das paralisações que ocorreram em 28 de abril de 2017, os dirigentes sindicais e movimentos sociais avaliam a campanha como um passo essencial para frear os retrocessos do governo Bolsonaro.

Com informações da CUT

Confira a programação completa dos atos

Acre Boa Vista: Palácio do Rio Branco, às 8h

Alagoas Maceió: Praça Centenário, às 15h Arapiraca: Praça da Prefeitura, às 9h

Amapá Macapá: ato às 9h, em frente a agência do INSS, na Avenida Marechal Rondon

Amazonas Manaus: concentração na Praça da Polícia, às 15h, seguindo em passeata para a Praça da Matriz (Centro) às 16h

Bahia Salvador: ato na Rótula do Abacaxi, às 9h

Ceará Fortaleza: ato na Praça da Imprensa (Dionísio Torres), às 8h Juazeiro do Norte: ato no Giradouro, às 16h Iguatu: ato com concentração na Praça da Caixa Econômica, às 8h Sobral: Praça de Cuba, às 7h30 Chorozinho: Praça da EEF Padre Enemias, às 8h Morada Nova (ato regional): Praça da Matriz, às 7h Russas: Praça Monsenhor João Luiz, às 7h Aracati: Praça do Prazeres, às 8h Jaguaruana: Praça da Prefeitura, às 9h Itaiçaba: EEF Dulcineia Gomes Dinis, às 7h Solonopole: Ginásio Poliesportivo, às 9h30 Pereiro: Praça da Matriz, às 7h Itapipoca: Praça dos Motoristas, às 8h Tianguá: Praça dos Eucaliptos, às 8h Acopiara: Praça da Matriz, às 8h Paracuru: Sindicato Rural, às 8h Crateús: Coluna da Hora, às 7h Camocim: Pracinha do Amor, às 8h Paraipaba: Praça do Hospital, às 15h30 Martinópole: Galpão dos Feirantes, às 16h Jaguaribe: Praça do Fórum, às 16h

Distrito Federal Praça Zumbi dos Palmares (SDS), às 17h

Espírito Santo

Vitória: Caminhada de Jucutuquara até o Palácio Anchieta, às 8h

Goiás Goiânia: ato perto da Serra Dourada, na altura do Km 153 da BR, às 6h

Maranhão

São Luís: INSS no Parque Bom Menino (Centro), às 8h Imperatriz: Praça de Fátima, às 8h

Mato Grosso Cuiabá: Praça Ipiranga, às 16h

Mato Grosso do Sul Campo Grande: Praça do Rádio Clube, às 9h

Minas Gerais Belo Horizonte: Ato na Praça Sete, às 17h Montes Claros: Praça do Automóvel Clube, às 16h Cidade de Timóteo: Praça 1º de Maio, às 17h Coronel Fabriciano: Praça da Rodoviária, às 9h Ipatinga: Praça 1º de Maio, às 14h João Monlevade: Praça do Povo, às 9h

Ouro Preto: Panfletagem

Pará Belém: concentração no Banco do Brasil da Ponte Vargas às 7h30, com caminhada até o INSS da Av. Nazaré às 9h Marabá: em frente ao INSS (manhã), seminário sobre reforma da Previdência na Faculdade Carajás, às 15h Parauapebas: Praça de eventos no bairro Cidade Nova, às 6h

Paraíba Campina Grande: Praça da Bandeira, 10h

Paraná Curitiba: concentração na Boca Maldita, às 9h; ato e panfletagem no INSS da Rua João Negrão, às 11h

Pernambuco Recife: Praça do Derby, às 15h

Piauí Teresina: INSS (Praça Rio Branco), às 8h

Rio de Janeiro Rio de Janeiro: Candelária, com caminhada até a Central do Brasil, 16h

Rio Grande do Norte Natal: INSS da Rua Apodi, 2.150, às 15h e segue para a Praça dos Três Poderes Mossoró: Manifestação na base da Petrobrás, às 6h e, concentração no INSS, às 8h e seguem pelas ruas do centro da cidade

Rio Grande do Sul Porto Alegre: Esquina Democrática, às 18h Caxias do Sul: Praça Dante Aligheri, às 17h Santa Maria: Praça Saldanha Marinho, às 17h30 Pelotas: Mercado Público às 18h Passo Fundo: Esquina Democrática, às 17h

Rondônia

Porto Velho: Praça Marechal Rondon, a partir das 17h

Roraima

Boa Vista: debate sobre a “reforma” da Previdência no auditório Jornalista Alexandre Borges, na Universidade Federal de Roraima (UFRR). Ato em frente à Assembleia Legislativa, às 16h

Santa Catarina Florianópolis: Ticen, às 17h Blumenau: em frente ao INSS, às 10h Joinville: Praça da Bandeira, às 14h Criciúma: Calçadão da Praça Nereu Ramos, às 13h30 Itajaí: ato em frente à Igreja Matriz, às 16h Lages: "aulão" popular sobre a "reforma", no Calçadão Tiago Fiúza de Carvalho, às 17h

São Paulo São Paulo: Masp, Avenida Paulista, às 17h São Bernardo do Campo, 10h Largo Rudge Ramos, Praça São João Batista, em frente à igreja; saída da porta da Mercedes-Benz e da Ford, às 7h

São Carlos: praça em frente ao Mercado Municipal, às 9h Bauru: audiência Pública na Câmara, às 14h Campinas: ato dos Servidores Públicos no Largo do Rosário, às 10h; Concentração para o ato e panfletagem na rua 13 de Maio e terminais de ônibus, às 16h30; ato político às 18h Mogi das Cruzes: Largo do Rosário (Praça da Marisa), às 10h Ribeirão Preto: Concentração na Esplanada Dom Pedro II, às 17h Osasco: ato público em frente à Estação de trem de Osasco, às 9h Carapicuíba: ato público em frente à estação de Carapicuíba, às 5h30 e Ato público no Calçadão, às 9h Ubatuba: ato no Ipiranguinha, Posto BR, às 10h, e no calçadão do Centro, das 11h30 às 18h São José dos Campos: Praça Afonso Pena, às 10h

Sergipe Aracauju: ato com concentração em frente à Deso, na Rua Campo do Brito, às 15h

Tocantins Palmas: em frente ao INSS, às 8h

PUBLICADO ORIGINALMENTE EM:

https://www.redebrasilatual.com.br/trabalho/2019/03/trabalhadores-vao-as-ruas-nesta-sexta-dizer-nao-a-reforma-da-previdencia


7 visualizações

Jornalista Responsável - Alexandre Costa (mtb -7587)