ONU condena uso excessivo da força no Ocupa Brasília


A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para osDireitos Humanos (ACNUDH) condenaram nessa sexta-feira (26) o uso excessivo da força durante a manifestação Ocupa Brasília, realizada no dia 24 no Distrito Federal. Policiais chegaram a usar armas letais nas manifestações que aconteceram na capital no 24 de maio; Idoso atingido está internado em estado grave.

A forma como as polícias militares têm atuado em outros protestos e ações sociais também foi alvo de críticas por parte dos órgãos internacionais. Na quinta-feira (25), os parlamentares Maria do Rosário (PT), Luiza Erundina (PSOL) e Paulão (PT) entregaram ao coordenador residente do Sistema das Nações Unidas no Brasil, Niki Fabiancic, documento que relata violações de direitos humanos ocorridas no governo Temer, com destaque nas manifestações de quarta-feira (24).

“O governo Temer utilizou as Forças Armadas e o Estado contra o povo brasileiro, a liberdade de manifestação, de organização e de expressão de um povo”, afirmou Maria do Rosário, deputada federal (PT-RS) e ex-ministra dos Direitos Humanos. Ainda sobre a manifestação dos comissariados da ONU e da OEA divulgada nesta sexta-feira (26), a CIDH levou em consideração o número de detidos, ao todo sete, e os 49 feridos pelas forças de segurança. Também foram registrados uso de arma letal por parte da polícia.

O sindicalista mineiro Carlos Giovani Sirilo foi atingido e está no CTI do Hospital de Base de Brasília respirando por aparelhos. O Comando da PM do DF abriu sindicância para investigar os dois policiais que teriam atirado no sindicalista. Também foram feitas fotos mostrando um policial atirando no pé de um fotógrafo.


16 visualizações

Jornalista Responsável - Alexandre Costa (mtb -7587)