MATÉRIA DE ZH DENUNCIA SUPERFATURAMENTO E FALTA DE FISCALIZAÇÃO NO DEP


O Jornalismo tem dado inúmeras demonstrações de que cumpre sua função na sociedade, independente dos múltiplos interesses que cercam a profissão e que muito têm colaborado para torná-la refém de partidos políticos e grupos financeiros. O resgate da dignidade da profissão faz parte de uma construção coletiva, diária e de enfrentamento, inclusive aos que se dizem republicanos e democráticos, mas invariavelmente colocam a ideologia e o cofre à frente da ética e da busca pela verdade. A matéria da Adriana Irion, publicada na Zero Hora desta segunda-feira (11/7), mostra que superfaturamento e falta de fiscalização estão por trás dos problemas de drenagem de Porto Alegre. Após seis meses de investigação, a matéria é de interesse público e suponho que, apesar de estarmos às vésperas de uma eleição municipal, faça parte, única e exclusivamente, do bom jornalismo. De grão em grão, tijolo por tijolo, a profissão sobrevive mesmo diante do rosário de interesses que contaminam a prática do bom e honesto jornalismo. Prefiro esse meu discurso sincero, ingênuo e até piegas do que aceitar a prática profissional de caráter duvidoso, visceral e que se coloca como moeda de interesses.

PARA QUEM AINDA NÃO LEU:

http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2016/07/sem-fiscalizacao-do-dep-limpeza-terceirizada-e-superfaturada-na-capital-6519468.html#showNoticia=IWhzei9CVVMzNzg5ODc5MzYzNzE4MTA3MTM2OVgwMzY0MzY5MzI0NTUzMTYzNjA5NnRDMTI0NTYxMTU2ODQxMzI3ODIwODByOTxddE9NRiZjU15PN2YjZDU=


rodapé ed.png