Ministros do STF aceitam denúncia contra Cunha, mas decisão fica para amanhã


O Supremo Tribunal Federal (STF) já tem os votos necessários para abertura de ação penal contra o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e da ex deputada federal (PMDB-RJ) e atual prefeita de Rio Bonito, Solange Almeida, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Seis dos 11 ministros, incluindo o do relator, aceitaram a denúncia. Os ministros Edson Fachin, Luiz Roberto Barroso, Marco Aurélio e Cármen Lúcia acompanharam voto do relator, ministro Teori Zavascki. O ministro votou pelo recebimento parcial da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República, por entender que há indícios de que o presidente da Câmara pressionou um dos delatores da Lava Jato para receber propina. Como a sessão foi suspensa, o julgamento somente será retomada amanhã (3), com os votos dos demais ministros que compõem a Corte. Se o resultado for mantido, Cunha e Solange passarão à condição de réus no processo. Os ministros, no entanto, receberam parcialmente o pedido em relação à temporalidade, porque entenderam que os fatos narrados não se estendem a todos os momentos em que foi feita a denúncia. Faltam concluir o julgamento amanhã, expressando seus votos os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Luiz Fux, Celso de Mello e o presidente do tribunal, Ricardo Lewandowski.


rodapé ed.png