TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL PODERÁ DETERMINAR A CASSAÇÃO DA CHAPA BOLSONARO-MOURÃO, NA TERÇA-FEIRA


Duas ações que pedem a cassação da chapa presidencial de Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão nas eleições de 2018 serão julgadas, na próxima terça-feira (10/6), pelo plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por supostos ataques cibernéticos em grupo de Facebook. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do órgão, que informou ainda que as ações foram incluídas pelo presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso. O caso vem sendo analisado desde novembro do ano passado, quando o relator das ações, ministro Og Fernandes, votou pela rejeição. No entanto, o ministro Edson Fachin pediu vista dos processos e, com o voto dele, o julgamento será retomado. As duas ações foram movidas pelas chapas presidenciais encabeçadas por Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL). Os casos referem-se ao ataque de hackers de uma página no Facebook intitulada “Mulheres Unidas contra Bolsonaro”, que tinha 2,7 milhões de integrantes.


Depois da ação dos hackers, a página passou a se chamar “Mulheres com Bolsonaro #17” e foi usada pelo então candidato Jair Bolsonaro em sua página oficial. “Obrigado pela consideração, mulheres de todo o Brasil”, escreveu o ex-capitão, à época. Para os autores dos processos, isso seria um indício de participação do ex-capitão. O relator das Aijes, ministro Og Fernandes, recomendou o arquivamento por acreditar que não há indícios claros de envolvimento. Na semana passada, Fernandes pediu que a campanha de Bolsonaro e o Ministério Público Eleitoral opinem sobre a possibilidade do STF compartilhar as provas do inquérito das fake news com o tribunal eleitoral. Há ainda outros seis processos no TSE contra a chapa vencedora do pleito de 2018.

rodapé ed.png