SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA COBRA DOS GOVERNOS MORTE DE 25 MÉDICOS CONTAMINADOS POR COVID-19


O site www.viomundo.com.br publicou matéria na terça-feira (28/7), assinada pela Conceição Lemes, sobre ofício enviado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) ao ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello, um ofício alertando para os riscos a que estão expostos os profissionais que atuam na linha de frente contra a Covid-19. A matéria faz referência ao Dia do Pediatra que no Brasil é celebrado em 27 de julho, data escolhida em função da fundação da Sociedade Brasileira de Pediatria, ocorrida em 1910. No entanto, o documento ressalta que em 2020 não houve o que comemorar, em função da morte de pelo menos 25 pediatras brasileiros, registradas entre março a julho, devido a complicações causadas pela doença.


Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), o número é significativo, pois nesse período faleceram mais do que a metade da média do total de pediatras que morrem por ano. No ofício, a entidade também cobra providências dos gestores: “É importante que a vida e a integridade desses trabalhadores sejam preservadas”.


O documento é assinado pela presidente da entidade, a doutora Luciana Rodrigues Silva.


“(…) os pediatras não fugiram à luta e, atendendo o chamado da Nação, continuam a oferecer assistência à população, mesmo com a chegada da pandemia de Covid-19 ao Brasil”.

“Infelizmente, entre março e julho desse ano, enquanto o País registra o avanço de uma de suas piores crises em saúde pública, até o momento, pelo menos 25 pediatras faleceram em decorrência de complicações geradas pelo contágio com o novo coronavírus”.

“A maioria dos pediatras mortos estava na ativa, atuando em emergências e hospitais públicos. Muitos também se dedicavam à assistência ambulatorial, em consultórios, ambulatórios e clínicas”.

“Eles eram trabalhadores que agiram de modo heroico, com total compromisso com as crianças e os adolescentes brasileiros. Contudo, não possuíam superpoderes, não tinham como se proteger sozinhos do coronavírus, precisavam de equipamentos de proteção individual (EPIs) e outros tipos de insumos e suporte para atuarem adequadamente”.

“Diante desse quadro preocupante, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) vem, respeitosamente, pedir ao Ministério da Saúde o reforço em medidas que possam impedir o surgimento de novos casos de óbitos e adoecimento entre médicos e outros profissionais da área da saúde”.

“Como tem sido relatado por diferentes especialistas, em vários serviços da rede pública ainda há dificuldade de seu acesso a equipamentos de proteção individual (EPIs) e até aos testes de diagnóstico, quando apresentam sintomas leves” “Esse é um dever do Governo Federal, dos Estados e dos Municípios, que não podem se furtar de sua responsabilidade de cuidar de todos que labutam em favor da vida”. 


HOMENAGEM

A SBP enviou uma carta aos familiares dos colegas falecidos devido à covid-19:

“Dizem que instituições não choram. Enganam-se. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lamenta profundamente o ocorrido e manifesta sua inconformidade diante dessa perda. No entanto, diante do luto, faz-se necessário reconhecer o legado que ficou, no qual a prática diária dos cuidados com crianças e adolescentes materializou uma grande paixão compartilhada por outros 43.699 especialistas”.


rodapé ed.png