DECISÃO DO TJ DO RJ DE CONCEDER FORO ESPECIAL A FLÁVIO BOLSONARO NÃO CAIU BEM ENTRE MINISTROS DO STF

A informação que circula nos bastidores do Supremo Tribunal Federal (STF) é de que a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que concedeu foro especial a Flávio Bolsonaro, mesmo depois de ele já ter deixado o cargo de deputado estadual, não foi bem recebida pelos 11 ministros da mais alta instância do poder judiciário brasileiro. Desde que votou contra a prerrogativa do julgamento em foro especial, o STF passou a enviar à primeira instância os inquéritos de políticos que já estavam fora dos cargos, justamente o contrário que fez o TJ do Rio.

A informação foi divulgada pela jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna na Folha de S.Paulo. Ela fez referência ao caso do ex-presidente interino, Michel Temer, que respondia a quatro inquéritos no STF e todos foram para a primeira instância, depois que ele deixou o cargo. Outro exemplo é o de José Serra, investigado por fraudes na construção do Rodoanel quando era governador de São Paulo, entre 2007 e 2010. Em 2018, o STF decidiu enviá-lo à primeira instância.


rodapé ed.png