CAETANO REAGE À DECISÃO DA JUSTIÇA QUE PROIBIU SHOW EM APOIO A MANUELA D'ÁVILA E A GUILHERME BOULOS


A Justiça Eleitoral acolheu no sábado (10/10) o recurso do candidato a prefeito de Porto Alegre, Gustavo Paim (PP), e suspendeu o show de Caetano Veloso em apoio a candidatura de Manuela D’Ávila (PCdoB) na capital gaúcha e de Guilherme Boulos à prefeitura de São Paulo. Marcado para o dia 7 de novembro, "o show foi idealizado exatamente como prevê o artigo 30 da Resolução TSE 23.607, que autoriza a realização de eventos para a arrecadação de recursos para campanhas eleitorais”, explicou Caetano Veloso via twitter.


A campanha de Manuela afirmou que vai recorrer da decisão. “Ingressaremos com pedido de reconsideração ao juiz que expediu a decisão, tendo em vista que este analisou o caso somente com base nos argumentos do adversário. Temos certeza de que a ação de arrecadação proposta está totalmente dentro dos padrões legais, por se tratar de um evento fechado, com cobrança de ingresso”, disse a candidata que lidera as pesquisas à prefeitura de Porto Alegre.


Já Caetano Veloso explicou que não se trata de um showmício. “O que nós planejamos e pretendemos fazer é uma live fechada, como se fosse um show dentro de um teatro que só vê quem paga. E isto vai recolher fundos para as campanhas dos candidatos que eu apoio, a Manuela D’Ávila e o Guilherme Boulos. Eu não estou fazendo um showmício. Essa ideia tá errada, não é o que acontece”, advertiu o músico.


O juiz da 161ª Zona Eleitoral, Leandro Figueira Martins, determinou que Facebook e Instagram promovam a retirada dos links que chamavam para o evento que, de acordo com ele, não se apresenta adequado à legislação eleitoral. Segundo Gustavo Paim, autor do recurso, a lei proíbe, em qualquer circunstância, a apresentação de artistas, de forma remunerada ou não, para fins de animar eventos eleitorais. “Independentemente da disputa, há uma clara violação da legislação eleitoral, porque este showmício viola a isonomia entre os candidatos”, disse o vice de Marchezan, após a decisão.


rodapé ed.png