CAIU A MÁSCARA DO GOLPE OU ESTÃO ARMANDO MAIS UMA???


A máscara do golpe caiu. Será mesmo? A matéria publicada pela Folha de São Paulo em que Jucá foi flagrado numa conversa com o ex-diretor da Transpetro e ex-senador Sérgio Machado, apenas comprova o que todos já sabiam.

É GOLPE e não impeachment.

Nas gravações, Jucá fala em "pacto" para parar com a Operação Lava Jato, na importância de Michel Temer assumir a Presidência da República. Também dá a entender que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) participou do esquema de propina da estatal.

E agora? A multidão que ocupou a Avenida Paulista, em São Paulo, ou o Parcão, em Porto Alegre, acusando Dilma de corrupção, irá às ruas no próximo domingo? Será que teremos cobertura espetacular da Rede Globo?

Algo me diz que até a próxima sexta-feira, novas acusações serão despejadas pela grande imprensa, mas desta vez contra o governo Dilma.

E NÃO É DE SE DUVIDAR QUE LULA SEJA PRESO.

JUCÁ PEDE LICENÇA

Bem que Juca tentou driblar as acusações sobre a tentativa de barrar as investigações da lava jato As denúncias contra o ministro do Planejamento repercutiram tanto que ele preferiu chegar ao encontro pela porta de trás, evitando as vaias dos manifestantes contrários ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Jucá deu as declarações sobre o seu pedido de licença ali mesmo, no Salão Azul do Senado. A reunião que discutiu a votação de amanhã no Congresso foi soterrada pela notícia bomba sobre o ministro do Planejamento de Temer.

Participaram do encontro, realizado a portas fechadas, o presidente da República interino Michel Temer, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Henrique Meirelles (Fazenda) e o próprio Jucá com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e vários parlamentares.

Na reunião foi entregue formalmente ao Congresso a proposta para alteração da meta fiscal do governo, seguida do pedido de Temer para que tal matéria seja aprovada com rapidez, de forma a permitir medidas de ajuste no Executivo.

ue afastou Dilma Rousseff da presidência do Brasil caiu. Romero Jucá anunciou no final da tarde dessa segunda-feira, 23 de maio, que entra de licença a partir desta terça-feira; em gravação, ele confessou que o impeachment nada mais foi do que uma trama para derrubar a presidente Dilma Rousseff, colocar um novo governo, o de Michel Temer, e parar as investigações da Lava Jato; nas conversas com Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro, ele disse que era preciso "parar essa porra" e "estancar a sangria"; em menos de duas semanas, Temer produz mais uma crise gigantesca e corre o risco de não resistir no cargo; ao chegar no Congresso para falar sobre a meta fiscal, ele foi vaiado e chamado de golpista; especulações apontam Eliseu Padilha no Planejamento e Moreira Franco na Casa Civil.


rodapé ed.png